quarta-feira, 5 de setembro de 2012

A fome no mundo



Josué de Castro nos dizia que a fome, era antes de tudo, uma expressão biológica de males sociológicos. Num meio de tecnologias que permitem a superação dos limites entre tempo e espaço, a fome se apresenta como uma das maiores perversidades e contradições do mundo contemporâneo.

Trabalho apresentado pela 8ºE no Seminário de Geografia sobre Problemas Populacionais Contemporâneos (Créditos no vídeo).


3 comentários:

Fábio Henrique disse...

Essa é a realidade que a África enfrenta hoje, um continente populoso onde milhares de pessoas lutam por um prato de comida.
Quando o mundo deixar de olhar para si, essa realidade tomará outro rumo e só aí poderemos ver como é ser um país igualitário.
Um mundo não só rico em economia e sim em princípios verdadeiros.

André Giorgetti Shimanuki disse...

É necessário considerar que o progresso material e técnico possibilitaram o aumento exponencial da produtividade de alimentos. Portanto o problema da fome não está relacionado com escassez da produção, sendo esta a sua face mais perversa.

Kristi disse...

O maior problema no continente Africano é a Fome e a miséria em que se encontram vários países africanos. O problema não é que o mundo não produz alimentos suficiente para alimentar essas pessoas, mas sim que o mundo produz muitos mais do que se é consumido pela população mundial, porem o desperdício na industria de alimentos mundial é enorme, são jogados no lixo milhares de alimentos todos os dias, por não serem consumidos em algumas horas, ou por não agradarem o consumidor, a verdade é que enquanto as pessoas só pensarem nelas mesmas, não só na África mas no mundo inteiro irá existir pessoas que vivem em condições precárias de vida, e que passam fome.